Neste domingo, 4 de março de 2018, acontece a entrega da 90ª edição do Oscar, prêmio concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Nesses 90 anos da maior premiação do cinema americano, muitas obras literárias inspiraram superproduções do cinema e foram premiadas. São histórias incríveis que emocionaram o público e mereceram o reconhecimento.

Vamos relembrar esses 29 sucessos da telona dos 90 anos de premiação da festa mais imponente do cinema americano:

Nada de Novo no Front (All Quiet on the Western Front)

Adaptado da obra Im Westen nichts Neues (título original), do escritor alemão Erich Maria Remarque, ganhou o Oscar de Melhor Filme e Melhor Direção, em 1930.

Grande Hotel (Grand Hotel)

Esse clássico foi inspirado na obra Menschen im Hotel (título original) da escritora austríaca Vicki Baum e recebeu a estatueta de melhor filme na premiação do Oscar em 1932.

O Grande Motim (Mutiny on the Bounty)

O drama inspirado em fatos reais relatados no romance de mesmo título, escrito por Charles Nordhoff e James Norman, ganhou o Oscar de Melhor Filme em 1936.

Emile Zola (The Life of Emile Zola)

O longa biográfico baseado no livro homônimo de Matthew Josephson levou três estatuetas do Oscar em 1938: Melhor Filme, Ator Coadjuvante (Joseph Schildkraut) e Roteiro.

E o Vento Levou (Gone with the Wind)

O icônico clássico foi baseado na obra homônima de Margaret Mitchell. Recebeu 13 indicações ao Oscar de 1940, vencendo em oito categorias: Melhor Filme, Diretor, Atriz (Vivien Leigh), Atriz Coadjuvante (Hattie McDaniel), Roteiro Adaptado, Edição, Fotografia e Direção de Arte.

Como Era Verde o Meu Vale (How Green Was My Valley)

Inspirado na obra dramática de mesmo título, escrita por Richard Llewellyn, recebeu dez indicações ao Oscar em 1942 e foi premiado em cinco: Melhor Filme, Diretor, Fotografia em Preto e Branco, Ator Coadjuvante (Donald Crisp), e Direção de Arte em Preto e Branco.

Luz É Para Todos (Gentleman’s Agreement)

Adaptado do livro de mesmo nome, de Laura Z. Hobson, foi uma das primeiras produções cinematográficas de Hollywood a falar sobre o preconceito racial. Ganhou três prêmios em 1948: Melhor Filme, Diretor e Atriz Coadjuvante (Celeste Holm).

Hamlet (Hamlet)

Até Shakespeare já ganhou um Oscar! Um não, ganhou quatro estatuetas! Inspirado na peça de William Shakespeare, Hamlet concorreu a sete categorias em 1949. Levou os prêmios de Melhor Filme, Figurino (e olhe que foi rodado em preto e branco), Direção de Arte em Preto e Branco e Ator (Laurence Olivier).

A Grande Ilusão (All the King’s Men)

A adaptação do romance ganhador do Prêmio Pulitzer de Literatura, de Robert Penn Warren, venceu três categorias do Oscar 1950: Melhor Filme, Ator (Broderick Crawford) e Atriz Coadjuvante (Mercedes McCambridg). Também conquistou várias categorias do Globo de Ouro.

A Um Passo da Eternidade (From Here to Eternity)

Baseado na premiada obra do escritor americano James Jones, levou oito estatuetas do Oscar 1954: Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante (Frank Sinatra), Atriz Coadjuvante (Donna Reed), Edição, Fotografia Preto e Branco, Roteiro Adaptado e Som. Recebeu também prêmios no Globo de Ouro, Festival de Cannes, BAFTA e Prêmio NYFCC (New York Film Critics Circle Awards).

A Volta ao Mundo em 80 Dias (Around the World in Eighty Days)

Uma das obras mais famosas de Júlio Verne, ganhou em cinco categorias do Oscar 1957: Melhor Filme, Roteiro Adaptado, Montagem, Fotografia e Trilha Sonora.

A Ponte do Rio Kwai (The Bridge on the River Kwai)

Baseado no romance Le Pont de la Rivière Kwai, do escritor francês Pierre Boulle, ganhou sete estatuetas do Oscar em 1958: Melhor Filme, Diretor, Ator (Alec Guinness), Fotografia, Edição, Roteiro Adaptado e Trilha Sonora.

Gigi (Gigi)

O cômico musical baseado na obra homônima da francesa Sidonie Colette levou o Oscar em nove categorias, em 1959: Melhor Filme, Diretor, Direção de Arte, Roteiro Adaptado, Fotografia Colorida, Figurino, Canção Original, Trilha Sonora e Edição.

A Noviça Rebelde (The Sound of Music)

Outro clássico do cinema, baseado em The Story of the Trapp Family Singers, livro de memórias da baronesa Maria von Trapp, ganhou como Melhor Filme, Diretor, Montagem, Som e Trilha Sonora na premiação de 1966.

Oliver! (Oliver!)

Nomeado para 11 categorias no Oscar de 1968, foi baseado na obra de Charles Dickens, Oliver Twist.  O musical ganhou como: Melhor Filme, Diretor, Adaptação Musical, Direção de Arte e Som.

Perdidos na Noite (Midnight Cowboy)

Baseado na obra homônima de James Leo Herlihy, foi ganhador do Oscar de Melhor Filme, Diretor e Roteiro Adaptado, em 1970. Também recebeu outros prêmios como o BAFTA, o Globo de Ouro e o NYFCC.

O Poderoso Chefão (The Godfather)

Baseado na obra de mesmo nome de Mario Puzo, foi indicado a nove categorias em 1973, arrebatando o Oscar de Melhor Filme, Ator (Marlon Brando) e Roteiro Adaptado.

Um Estranho no Ninho (One Flew Over The Cuckoo’s Nest)

Baseado no romance de Ken Kesey, venceu as nove categorias às quais foi indicado no Oscar 1976, incluindo o de Melhor Filme, Diretor, Ator (Jack Nicholson), Atriz (Louise Fletcher) e Roteiro Adaptado.

Gente Como a Gente (Ordinary People)

A adaptação do romance homônimo de Judith Guest, venceu quatro prêmios da Academia de Hollywood em 1981: Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante (Timothy Hutton) e Roteiro Adaptado.

Laços de Ternura (Terms of Endearment)

Inspirado no romance de Larry McMurtry levou cinco estatuetas no Oscar de 1984: Melhor Filme, Diretor, Atriz (Shirley MacLaine), Ator Coadjuvante (Jack Nicholson) e Roteiro Adaptado.

Dança com Lobos (Dances With Wolves)

Escrito por Michael Blake, foi um grande sucesso com 12 indicações na premiação de 1991, e levou o prêmio de Melhor filme e mais seis estatuetas: Diretor, Fotografia, Montagem, Trilha Sonora, Efeitos Sonoros e Roteiro Adaptado.

A Lista de Schindler (Schindler’s List)

Inspirada no emocionante romance Schindler’s Ark, do australiano Thomas Keneally, recebeu indicação em doze categorias do Oscar de 1994, levando sete prêmios: Melhor Filme, Diretor (Steven Spielberg), Roteiro Adaptado, Trilha Sonora Original, Montagem, Fotografia e Direção de Arte.

O Paciente Inglês (The English Patient)

Recebeu nove prêmios no Oscar 1997, incluindo o de Melhor Filme: Diretor, Atriz Coadjuvante (Juliette Binoche), Direção de Arte, Fotografia, Figurino, Edição, Trilha Sonora de Drama e Mixagem de Som. Foi inspirado no romance, com mesmo título, do canadense Michael Ondaatje.

O Pianista (The Pianist)

A emocionante autobiografia do músico polaco Wladyslaw Szpilman, ispirada no livro Morte de uma cidade, recebeu sete indicações ao Oscar 2003, vencendo três delas: Melhor Diretor (Roman Polanski), Ator (Adrien Brody) e Roteiro Adaptado.

O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (The Return of the King)

Um dos filmes com maior número de indicações e prêmios recebidos na história da premiação do Oscar. Inspirado na fascinante obra de J.R.R. Tolkien, esse terceiro e último filme da trilogia conquistou as 11 estatuetas para as quais foi indicado no Oscar 2004: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Adaptado, Efeitos Visuais, Direção de Arte, Edição, Figurino, Maquiagem, Mixagem de Som, Trilha Sonora e Canção Original.

Onde os Fracos Não Têm Vez (No Country for Old Men)

Inspirado na obra homônima de Cormac McCarthy, levou quatro prêmios no Oscar 2008: Melhor Filme, Direção, Ator Coadjuvante (Javier Bardem) e Roteiro Adaptado.

Quem Quer Ser um Milionário? (Slumdog Millionaire)

A história é baseada na obra Q & A, do escritor indiano Vikas Swarup e venceu oito das dez categorias às quais foi indicado em 2009: Melhor Filme, Diretor, Roteiro Adaptado, Fotografia, Edição, Trilha Sonora Original, Canção Original e Mixagem de Som.

Argo (Argo)

Foi adaptado a partir do livro The Master of Disguise, escrito pelo ex-agente da CIA Tony Mendez. O filme ganhou vários prêmios além do Oscar de Melhor Filme, Roteiro Adaptado e Edição, em 2013.

12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave)

O drama baseado na autobiografia de Solomon Northup, um negro livre que foi sequestrado e ilegalmente vendido como escravo em 1853, foi indicado em nove categorias do Oscar 2013, levando três: Melhor Filme, Atriz Coadjuvante (Lupita Nyong’o) e Roteiro Adaptado.

 

Além dessas obras incríveis, imagine quantos livros já viraram filme, mas não arremataram nenhuma estatueta! A série Harry Potter, por exemplo, recebeu doze indicações em seis filmes, mas não levou nenhum prêmio, embora tenha virado uma febre e batido recordes de bilheteria.